UMA JANELA PARA A AMÉRICA LATINA

Edu Simões

Edu Simões começou sua carreira como fotojornalista.  Pertenceu ao staff da Agência F4. Foi editor assistente da Revista Isto É e editor de fotografia das Revistas Goodyear, República e Bravo.

Em 1980 recebe o Prêmio Vladimir Herzog de Direitos Humanos e em 2012 o prêmio Marc Ferrez . Foi fotógrafo exclusivo dos Cadernos de Literatura Brasileira do IMS (1996-2012).

Retratos da Juventude Negra Brasileira, trabalho apresentado em nossa galeria, é resultado de viagens do fotógrafo, que por mais de três anos visitou estreitas passagens que serpenteiam as centenas de milhares de barracos das favelas brasileiras.

Lugares onde muitas vezes o tráfico de drogas exibia diuturnamente seu armamento pesado e a polícia aplica regras próprias. Lugares onde a vida é difícil e a morte fácil.

Os jovens retratados fazem parte de periferias de diversas cidades do Brasil.

Começando pela Vila Cruzeiro e COHAB Rubem Berta em Porto Alegre. Mathias Velho e Guajuviras em Canoas, ambas cidades do Rio Grande do Sul.

Em São Paulo, Edu Simões visitou Heliópolis, Capelinha, Favela 20 e Vila Alba, além dos bairros do Capão Redondo, Casa Verde, Jardim Iporanga, Grajaú e também o centro abandonado da cidade.

Na Bahia esteve em Pau da Lima, Mussurunga e Alagados.

Em Brasília, o foco foi Ceilândia. No Pará, o lugar onde pode sentir mais de perto os tentáculos da violência, os locais visitados foram Guamá e Terra Firme.

Por último, registrou algumas das maiores e mais incríveis comunidades no Rio de Janeiro, Nova Holanda no Complexo da Maré, Complexo do Alemão, Praça Seca, Cidade Alta, Rocinha, Dona Marte, Irajá e Penha.

Seus trabalhos integram as coleções do Masp, MAM-SP, Pinacoteca do Estado, MIS-SP, Instituto Figueiredo Ferraz e também na Maison Européenne de la Photographie (Paris/França) e no Consejo Mexicano de Fotografía (México/DF).

É representado no Brasil pela Galeria Marcelo Guarnieri.